A obesidade e a fome emocional

A obesidade é uma doença caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal e geralmente está associada a outros problemas de saúde, sendo fator de risco para várias doenças, entre as quais o câncer, a hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, apneia do sono, diabetes, depressão e transtorno de ansiedade. Sua prevalência tem aumentado consideravelmente nas populações de todo o mundo.

Um dos mecanismos que favorecem a obesidade é uma estratégia de enfrentamento denominado comer emocional. Ao comer emocional estão associados vários fatores, entre os principais destacam-se:

1- Restrição prévia: são situações em que há uma restrição alimentar por um tempo significativo levando a um comportamento compensatório de ingerir uma quantidade bem maior de comida para compensar a restrição prévia.

2- Emoções negativas: diante de emoções negativas que geram mal-estar e sofrimento como frustração, medo e tristeza, a pessoa recorre à comida como um recurso para se sentir melhor, mesmo se não há necessidade física de ingesta de alimentos.

3- Alexitimia: existem pessoas que têm dificuldade acentuada para identificar e descrever suas emoções e, algumas destas pessoas recorrem à comida ao invés de falar de suas emoções e procurar elaborá-las.

4- Percepção interoceptiva pobre: casos onde há uma dificuldade para interpretar corretamente as emoções experimentadas ou pela dificuldade de lidar com essas emoções. No caso da obesidade, existe um descontrole no ato de parar de comer estimulado pela busca de uma sensação de saciedade que não encontra limite por ser de ordem emocional.

Considerando-se os fatores acima, pode-se afirmar que o comer emocional está relacionado com aspectos mais profundos de seu funcionamento psíquico. Quem passa pela experiência de comer impulsivamente para alcançar uma sensação de bem-estar e não consegue alcançá-la pode desenvolver sentimentos de culpa e arrependimento que, se não tratados, além de favorecer a continuidade do comer emocional como em um ciclo repetitivo.

Um tratamento psicoterápico com especialistas da área permite que se desenvolva um trabalho de autoconhecimento a partir do qual são encontradas formas saudáveis para se tratar o comer emocional, assim como com a obesidade.

Equipe de Psicologia Hospital IMO